Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 7 de junho de 2017

E ao terceiro dia... Jerusalém foi libertada. Faz hoje exatamente 50 anos!

O "terceiro dia" é muito importante no calendário divino.

Foi ao terceiro dia que Ele ressuscitou o Seu Filho dentre os mortos. Foi ao terceiro dia profético (1 dia = 1 ano) que o povo judeu renasceu das cinzas e declarou a sua independência na Terra de Israel (1945 - 1948). 

E foi ao terceiro dia da mítica Guerra dos Seis Dias que as vitoriosas tropas israelitas reconquistaram Jerusalém, até então ocupada pelos jordanos muçulmanos.

Para Deus não há coincidências. Tudo funciona segundo "os Seus decretos." 

"Depois de dois dias nos ressuscitará; ao terceiro dia nos levantará, e viveremos diante d' Ele." (profeta Oséias 6:2)

JERUSALÉM LIBERTADA DO JUGO DOS MUÇULMANOS
Exatamente no dia 7 de Junho de 1967, ao terceiro dia da Guerra dos Seis Dias, as tropas israelitas entraram na Cidade santa de Jerusalém, travando intensos combates e conseguindo chegar até ao símbolo atual mais importante para os judeus: O Muro Ocidental! 

Descrever as emoções vividas e sentidas por aqueles heróis seria um trabalho debalde, pelo que não nos atrevemos a tal empreendimento, apenas relatar os fatos que mudaram para sempre a História de Israel, do povo judeu e da própria humanidade. 

"Após as 48 horas da batalha (pela libertação de Jerusalém do domínio jordano), estávamos cansados e suados, os nossos uniformes empoeirados e manchados de sangue, mas quando descemos as escadas e vimos as pedras do Muro Ocidental, muitos dos rapazes começaram a chorar...foi uma coisa extraordinária, difícil de descrever" - testemunhou Zion Karasenti, um dos "rapazes" da foto ao lado, que se tornou um ícone do Dia da Libertação e Reunificação de Jerusalém, há precisamente 1 Jubileu bíblico, 50 anos...

CUMPRIMENTO DA PROFECIA DO MESSIAS JESUS?
Para muitos estudiosos da Bíblia - eu incluído - não restam dúvidas de que a reconquista de Jerusalém, ao fim de 2 mil anos de Dispersão pelos quatro cantos da terra, é o cumprimento das palavras proféticas proferidas pelo Messias Jesus no Monte das Oliveiras: "E cairão ao fio da espada e serão levados cativos para todas as nações; e, até que os tempos dos gentios se completem, Jerusalém será pisada por eles" - Lucas 21.24.

Descrições feitas por soldados egípcios capturados durante esta Guerra referem a presença de milhares de anjos armados que eles viram em várias ocasiões e que os aterrorizaram ao ponto de se porem em fuga, mesmo quando diante deles estava apenas um soldado israelita!

A HISTÓRIA POR TRÁS DA VITÓRIA
Em Junho de 1967, os vizinhos árabes de Israel reuniram exércitos contando quase meio milhão de soldados preparados para invadir Israel. Os líderes árabes anunciaram publicamente a sua intenção de varrer completamente Israel do mapa. 

Os líderes de Israel temeram e tremeram. Mesmo assim, prepararam-se para o pior e isso levou-os a tomarem acções decisivas para frustrar os desígnios dos seus inimigos. Israel não só venceu a guerra, como acabou conquistando tanto território aos inimigos, que aumentou o seu espaço territorial em 3 vezes! 

E...no terceiro dia da Guerra, dia 7 de Junho de 1967, as tropas paraquedistas israelitas libertaram a Cidade velha de Jerusalém!

Pouco antes das 9 da manhã do dia 5 de Junho, o primeiro dia da Guerra, o comandante chefe Uzi Narkiss, mandou uma mensagem ao então presidente do Município de Jerusalém, Teddy Kollek: "Isto é uma guerra. Está tudo em ordem. Você vai ser o prefeito de uma Jerusalém unida. Estamos a experimentar imenso sucesso."
 
No final do primeiro dia de batalha, Narkiss disse ao rabino Goren: "Prepare um shofar. Você está prestes a fazer História. O que está a acontecer no sul não é nada (a estrondosa vitória contra os egípcios em fuga). A coisa mais importante é a Cidade Velha e o Monte do Templo." 

Na manhã do terceiro dia da Guerra, Narkiss falou com o deputado chefe de pessoal Haim Bar-Lev, e disse-lhe o seguinte: "Temos de entrar na Cidade Velha, mas com sensibilidade. Já há pressão para que haja um cessar fogo. Já estamos no canal (referindo-se ao canal de Suez). Os egípcios estão desconectados. Não queremos criar uma situação de enclave na Cidade Velha, tipo Monte Scopus...A questão é como e quando vamos tomar a Cidade Velha. Com o mínimo possível de fogo, não através de bombardeamentos."

"O MONTE DO TEMPLO ESTÁ NAS NOSSAS MÃOS!"
Notícias chegadas entretanto informavam que as tropas jordanas tinham "desabado" e que o "Victoria Augusta (hospital) está nas nossas mãos."  

Às 9H10, as forças militares deixaram o "posto Efraim" e encaminharam-se para a Cidade Velha. Às 10 da manhã, segundo os registros no diário de Narkiss, foi atirada uma granada de fumo verde para facilitar a passagem dos soldados através do Portão dos Leões. Pouco depois, Gur anunciava:

"O Monte do Templo está nas nossas mãos!"

"QUE A PAZ DESÇA SOBRE TODO O ISRAEL!"
Cerca de uma hora depois, foi recebida uma ordem para que se deixassem os árabes sair através do Portão dos Leões. Ytzak Rabin emitiu uma ordem simultânea para que se abrissem todos os portões da Cidade Velha, e o Ministro para a Defesa Moshe Dayan colocou um papelinho no Muro Ocidental, no qual escreveu:  "Que a paz desça sobre todo o Israel!" 
 
Horas depois da libertação da Cidade, o então primeiro-ministro Levi Eshkol começou a discutir a questão do controle do Monte do Templo.

E AO SÉTIMO DIA...ISRAEL DESCANSOU!
O Deus de Abraão, Isaque e Jacó deu a Israel a maior vitória militar alguma vez alcançada por aquela nação. O exército e aviação judaicos desbarataram por completo as tropas e o equipamento das 5 nações árabes que se juntaram para acabar com Israel. Bastaram 4 horas para que a aviação israelita acabasse com dois terços de todos os aviões egípcios. 
 
E ao sétimo dia, Israel descansou...!


Shalom Israel Shalom
DeOlhOnafigueira

Nenhum comentário:

Postar um comentário