Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Cometas visíveis a olho nú - uma amostra do que nos reserva o palco celeste de 2013

O ano de 2013 nem bem começou e alguns eventos astronômicos já começam a chamar a atenção dos observadores profissionais e amadores. Cometas e asteroides já estão se aproximando da Terra e do Sol e  já está dando o que falar.
Apesar do tempo não estar ajudando muito em diversas partes do Brasil, em algumas regiões o céu limpo da pré-manhã deverá colaborar bastante na observação do cometa denominado C/2011 L4 Panstarrs

O cometa C/2011 L4 Panstarrs vem aumentando de brilho gradualmente e já atingiu a magnitude necessária para ser observado através de um pequeno binóculo. Seu brilho deverá se intensificar ainda mais e em breve será visto a olho nu.

Cometa C/2011 L4 Panstarrs
Cometa Panstarrs fotografado no dia 09Jan13 por fotógrafo amador na Nova Zelândia

Cálculos de magnitude indicam que o objeto atingiu a magnitude 8, suficiente para ser visto com auxílio de um simples binóculo ou lunetas amadoras. Os astrofotógrafos também já devem se preparar, já que as imagens de longa exposição e ISO elevado poderão revelar detalhes da coma ou cauda, ainda que difusas.

Atualmente, C/2011 L4 Panstarrs se encontra a 2.77 UA da Terra e à medida que se aproxima do Sol terá seu brilho ainda mais intensificado.
 
Carta celeste cometa Panstarrs
Carta celeste ajuda a localizar o cometa nas pré-manhãs no hemisfério Sul

UA significa Unidade Astronômica e equivale a distância entre a Terra e o Sol, de 149 milhões de quilômetros. Assim, Panstarrs está neste momento a 149 x 2.77 = 412 milhões de km. Em 5 de março o objeto atingirá o perigeu e passará a apenas 150 milhões de quilômetros do nosso planeta.

Modelos de magnitude astronômica indicam que em 10 de março Panstarrs atingirá 4 magnitudes negativas, um brilho comparado ao do planeta Vênus. Até lá, o crescente brilho do cometa será constante, o que torna a observação do objeto um passatempo bastante interessante e educativo. 

Sobre o cometa 
Batizado de C/2011 L4 Panstarrs, o novo cometa foi descoberto em 5 de junho de 2011 pela equipe do telescópio Panstarrs-1, de 1800 milímetros, localizado no Havaí. Algumas horas depois de detectado, o objeto também foi localizado pelo observatório franco-canadense de Mauna Kea, também no Havaí.

Quando foi descoberto, C/2011 L4 Panstarrs se localizava muito além da órbita de Júpiter, a 1.4 bilhões de km do Sol. Seu brilho foi calculado em 18.5 magnitudes, cerca de 100 mil vezes mais fraco que o limite de detecção da visão humana.

As primeiras observações mostram que o cometa tem uma órbita altamente inclinada e em março de 2013 já poderá ser visto no quadrante oeste logo após o ocaso, mas os últimos raios solares deverão interferir na observação. Estimativas conservadoras mostram que C/2011 L4 Panstarrs deverá atingir a magnitude 1, similar à de muitas estrelas visíveis no céu noturno. De acordo com o Laboratório de Propulsão a jato da Nasa, JPL, o brilho poderá ser ainda maior, com magnitude negativa de meio ponto.


A órbita de C/2011 L4 Panstarrs foi determinada pela primeira vez em 8 de junho de 2011 (2 dias após sua descoberta), depois que o astrônomo G. V. Williams analisou 34 posições do objeto registradas pela poderosa câmera de 1.4 gigapixels anexada ao Panstarrs-1. Inicialmente, a única estimativa foi sobre os valores do periélio em 2013, mas revisões posteriores já mostravam uma órbita bastante peculiar, apontando para a possibilidade de um cometa bastante brilhante.

Onde está Panstarrs
Para facilitar a vida dos astrônomos amadores, preparamos uma carta celeste indicando onde o cometa estará localizado no dia 11 de janeiro de 2013, sexta-feira, às 05h30 BRST. Por ela é possível verificar que C/2011 L4 Panstarrs está exatamente na cauda do constelação do Escorpião.


Carta celeste posicao do cometa Panstarrs_
Carta celeste ajuda a localizar o cometa nas pré-manhãs no hemisfério Sul

Para achar a constelação é preciso que o observador localize o ponto cardeal leste, próximo de onde o Sol nasce. A constelação estará um pouco mais à direita e será facilmente identificada com auxílio da carta celeste mostrada e também pela presença da gigantesca estrela vermelha Antares, no coração do escorpião.

Com auxílio de um binóculo, C/2011 L4 Panstarrs se parecerá com uma pequena bolinha difusa, mas que deverá se tornar mais intensa à medida que o tempo passa. 

Pequena Amostra
Esse objeto é apenas uma amostra do que nos reserva o palco celeste de 2013. Ainda estamos no comecinho do ano e sem dúvida teremos muito mais pela frente, como as famosas tempestades solares que poderão se intensificar este ano já que em maio deveremos atingir o pico do ciclo solar 24. O ano está só começando...

Se prepare para visualiar o Cometa “ISON”

É o cometa “ISON” (International Scientific Optical Network) que deve obter maior sucesso junto do público. De acordo com alguns cálculos, o “ISON” pode ser visível a olho nu, logo depois do pôr-do-sol, no final de novembro, um fenómeno raro que deve prolongar-se por vários meses.

O “ISON” é tão raro, que a sua última viagem à volta do planeta ocorreu há pelo menos 10 milhões de anos, disse Mark Bailey. "Este é um 'novo cometa', que provém da região do sistema solar a que nós chamamos de 'nuvem de Oort'", que se estende muito além das órbitas dos planetas e que marca a fronteira do sistema solar”, acrescentou.


Bons Céus!  
 
Extraído de Apollo11
DeOlhOnafigueira  


Nenhum comentário:

Postar um comentário